Economia - Questões Sociais

O desafio dos artesãos

Alice Freitas e a economia informal.

De acordo com o Ministério do Trabalho, é estimado que 50 por cento dos trabalhadores no Brasil participam da economia informal. Apesar de tais estatísticas, as lacunas na cadeia de distribuição tornam difícil para os produtores informais chegarem ao seu mercado objetivo. Na verdade, até mesmo artesãos qualificados têm dificuldade para alcançar o seus objetivos, graças aos custos iniciais consideráveis necessários para abrir uma loja ou iniciar um negócio.

O sucesso de Alice Freitas repousa sobre sua capacidade de construir uma rede ativa e engajada de produtores, vendedores e consumidores. Para isso, ela começa na base da cadeia de distribuição, o desenvolvimento de uma rede comprometida e bem treinada de produtores para quem ela fornece informações de mercado e acesso elevado para os consumidores. Os grupos são originários de comunidades de baixa renda que devem produzir itens comercializáveis.

Ela, então, trabalha para desenvolver um grupo de agentes de vendas, a quem treina para comunicar mensagens que se relacionam tanto com os produtos apresentados no catálogo e as pessoas por trás deles. Ao invés de contar com uma abordagem porta-a-porta, os agentes de vendas vendem através de catálogo principalmente dentro de seus próprios círculos sociais e profissionais, permitindo-lhes concentrar-se na construção de relacionamento com cada cliente, e com isso, desempenhar um papel mais forte na mudança de comportamento do consumidor.

28

WebSite: http://www.realice.com.br/

Veja Mais

Os Artesãos da Rede Asta